Logo PARAÍBA.com.br

24 de July de 2014


Quadrilha presa acusada de clonar cartões bancários na Capital

16/01/2010 | 18h36min

Paulo Cosme

Uma quadrilha especializada em lesar clientes de bancos com o uso de cartões falsos foi presa em flagrante na noite de sexta-feira (15) numa operação realizada por policiais militares do Serviço de Inteligência do Comando Geral da PM e agentes civis da Delegacia de Roubos e Furtos da Capital sob o comando do major Lívio Sérgio e do delegado Francisco de Assis. De acordo com a polícia o bando é especializado em usar o equipamento conhecido por “chupa-cabra” que ao ser colocado no caixa eletrônico armazena todos os dados do cartão no momento em que ele é inserido na máquina. A partir daí o cartão é clonado e os bandidos passam a fazer saques e outras movimentações bancárias nas contas dos clientes.

Foram presos Fernando Antônio Batista Ribeiro e José Carlos Monteiro dos Santos, ambos da cidade de Remígio, na Paraíba, além do pernambucano, Marivaldo José Alves da Silva e o paulista Valdinei Bispo Gomes dos Santos. Outro acusado identificado até o momento apenas por “Maradona” também foi preso.

O major Lívio Sérgio explicou que a PM tomou conhecimento de que uma gangue estava se preparando para agir em uma agência bancária da orla marítima da Capital e as investigações foram iniciadas por volta das 19 horas.   Ao chegar à agência do Banco Real, no Mercado de Artesanato, a polícia identificou o primeiro acusado.

Dentro do banco, José Carlos Monteiro estava colocando o balcão que os clientes usam para preencher cheques e depósitos na frente do caixa eletrônico aonde a quadrilha iria colocar o equipamento conhecido por “chupa-cabra” e assim impedir que as pessoas que passassem pela calçada do banco visse a movimentação. De acordo com a polícia o caixa eletrônico já estava aberto e pronto para receber o equipamento.

A partir da prisão de José Carlos, os policias chegaram até os quatro integrantes e ainda apreenderam dois veículos, um Honda Civic de cor prata e placas KJU-3156-PE e um Celta Vermelho de placas  MOL-0322 de João Pessoa e todos os equipamentos que a quadrilha iria usar para instalar os chupa-cabras nos caixas eletrônicos. De acordo com a polícia, enquanto o paulista fazia  instalava o “ Chupa-cabra “ na máquina os outros integrantes ficavam do lado de fora dando cobertura.

Durante as investigações a polícia descobriu que José Carlos Monteiro era quem fazia os contatos com o paulista Valdinei Bispo Gomes dos Santos que vinha de São Paulo exclusivamente para instalar os chupas-cabra nos caixas eletrônicos. De acordo com a polícia, esse equipamento iria passar o dia de hoje instalado na máquina e amanhã seria retirado, os dados passados para um computador e depois os cartões falsos seriam confeccionados e assim eles estariam prontos para a quadrilha fazer os saques nas contas dos clientes e outras transações bancárias

Valdinei Bispo contou à polícia que além da Paraíba, ele já agiu em São Paulo e no Rio de Janeiro e nesse último Estado contava com a conivência da Polícia Militar.  O bando foi levado para a Delegacia de Roubos e Furtos onde foi autuado em flagrante por formação de quadrilha e roubo.