Logo PARAÍBA.com.br

24 de October de 2014


Sindicato garante que greve dos professores tem boa mobilização e espera proposta do Governo

03/05/2011 | 10h27min

No primeiro dia de paralisação dos professores da rede estadual de ensino, o Sindicato avalia o movimento como “bem aceito”, pela categoria principalmente nas escolas como mais de 1,5 mil alunos a exemplo do Liceu Paraibano e do CPDAC. Com a greve, cerca de 450 mil alunos estão sem aula em todo o Estado.

O professor Carlos Belarmino, Secretário de Finanças do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (Sintep), afirmou que dos 30 mil professores cerca de 16 mil aderiram ao movimento grevista. A única resistência, segundo ele, é por parte dos polivalentes e dos prestadores de serviços, que por serem contratados recentemente estão sofrendo pressão por parte do Governo do Estado e por isso vão para a escola apenas para assinar o ponto.

Carlos Belarmino afirmou que durante todo o dia desta terça-feira (3), o Sindicato estará visitando as escolas para conversar com os professores e avaliar o movimento grevista. De acordo com o cronograma de atividades do Sintep, no dia 6 acontecerão as assembléias regionais e no dia 11, em João Pessoa, será realizada uma assembléia geral. “Até lá esperamos que o governo acene com uma proposta que satisfaça a categoria”, disse o sindicalista.

Ele afirmou que na tarde de segunda-feira (2), o Sindicato protocolou um ofício no Gabinete Civil do governador solicitando uma audiência com o governador Ricardo Coutinho. “O Sindicato está aberto ao diálogo e esperamos que o Governo do Estado se mostre disposto a conversar” garantiu Carlos Belarmino.

O Governo do Estado ofereceu um abono de vale-transporte de R$ 60 (para os funcionários de apoio apenas de João Pessoa e Campina Grande) e uma bolsa-desempenho, espécie de gratificação, de até R$ 230, não incluindo os professores aposentados.

Mas o Sintep reivindica o pagamento do piso nacional, um reajuste de 13,73%, o pagamento das gratificações dos servidores que não receberam em janeiro, a nomeação de professores concursados e a realização de novos concursos.

O Sindicato também está reivindicando a contratação dos diretores de escolas que foram escolhidos por meio de eleição direta. Segundo o Sintep o Governo do Estado ficou de resolver essa situação até o mês de março desse ano e, no entanto 52 escolas ainda não tiveram os seus diretores nomeados.

Vários pontos estão sendo reivindicados pelo Sintep, mas os dois principais são o pagamento do piso nacional e a jornada de trabalho em turno corrido para o pessoal de apoio. De acordo com o sindicato o piso é R$ 1.187,00 para uma carga horária de quarenta horas semanais, mas como na Paraíba essa jornada é de apenas 30 horas, o Sindicato está reivindicando o piso de R$ 890,36.


Paraiba.com