Logo PARAÍBA.com.br

01 de September de 2014


Carro fosco ganha adeptos e espaço nas ruas da cidade

12/07/2011 | 14h09min

Na tarde da última sexta-feira, o galpão da empresa de adesivagem de frotas comerciais Famasign, na Casa Verde, zona norte, estava lotado de carros e ônibus recebendo logos de suas respectivas companhias. No meio do local, havia um estranho no ninho: um Porsche Cayenne verde - particular - era todo coberto por um adesivo preto fosco. "Começamos a atuar nesse nicho (de carros particulares) em outubro. Hoje, representa 30% do faturamento", diz Marcio Rafael Colacioppo, um dos donos da Famasign.

"Fui a Miami no mês passado e vi muitos carros foscos por lá. Achei diferente e resolvi colocar no meu", afirma a dona do Cayenne, a chef de cozinha Thaisa Tozini, de 28 anos. A "embalagem" dura, em média, 3 anos.

A tendência surgiu nos Estados Unidos e na Europa em 2009, mas começou a estacionar por aqui, timidamente, em 2010. "No início, fazíamos três carros por mês. Agora, são 40, 50", diz o diretor da Preto Fosco, Paulo Surya Bento, outra empresa de adesivagem.

O serviço, que custa entre R$ 1,3 mil e R$ 2,8 mil, dependendo do tipo de veículo, tem lista de espera de uma semana a 40 dias em São Paulo. "Estamos no auge da moda", diz a diretora comercial da Decalline, Thaís Mota. Tanto que, se veículos acima de R$ 90 mil são os mais envelopados, já começam a aparecer carros mais populares na versão fosca. "Já fizemos Stilo e Celta, por exemplo."

Personalização. E o que está fazendo o preto fosco pegar tanto? As três empresas ouvidas são enfáticas na resposta: a vontade de personalizar o carro. "É a mesma coisa que acontece com notebooks e iPhones, que têm seus adesivos e capinhas para personalizar", avalia Bento.

O corretor de imóveis Enzzo Porcel, de 35 anos, concorda e acrescenta: "Além da personalização, o preto fosco dá exclusividade", diz. Em seu caso, ele ainda "tatuou" seu Kia Soul preto com a imagem de um dragão - por meio de um recorte no adesivo. "Traduz quem eu sou, o meu jeito. E o meu signo no horóscopo chinês é o dragão", diz.

O carro ficou tão diferente que, não raro, Porcel é abordado no semáforo e em estacionamentos de shoppings por pessoas que querem saber como ele conseguiu um carro desses. "O pessoal vira o pescoço para olhar."

Próxima fase. Essa espécie de tatuagem é uma das apostas da Preto Fosco para quando a moda passar. Outras seriam adesivagem em outras cores - como branco fosco e brilhante, que começa a ficar em alta por causa da moda atual de carro branco - e adesivagem de motos. A certeza de mais negócios é tanta que, nesta semana, Bento abre, no Itaim-Bibi, a empresa-piloto da futura franquia da Preto Fosco.

Enquanto isso, o bancário Alexandre Hirsch, de 37 anos, e o engenheiro civil Francisco Ceotto, de 56, já contribuem para acelerar essas tendências. O primeiro circula com seu Hyundai i30 todo branco fosco por São Paulo. O segundo vai viajar no próximo mês pelo Sul do País em sua Harley Davidson toda em preto fosco. "A ideia é ter algo diferente", dizem os dois.

LÁ TEM...

EUA e Europa
A reboque do lançamento de séries especiais de carros top em preto fosco, como o de uma Mercedes, surgiu a moda nas ruas, que se consolidou em 2010.

Coreia do Sul
A montadora Kia já lançou carros com detalhes em preto fosco.

PRESTE ATENÇÃO...

1.Se a cor do adesivo aplicado - fosco ou brilhante - for a mesma da pintura original do veículo, não é preciso trocar a documentação do carro no Detran. Se for diferente, no entanto, é necessário obter autorização prévia do órgão de trânsito.

2.Para dar entrada na alteração, basta apresentar a nota fiscal original do serviço. Caso tenha sido feito pelo próprio proprietário, deve-se levar uma declaração de próprio punho com firma reconhecida.

3. É preciso pagar taxa de R$ 134,37 e anexar cópia de CPF, RG ou CNH, comprovante de residência, decalques do chassi e do motor, preencher formulário Renavam e levar o carro para vistoria.

Agência Estado
Redação