Logo PARAÍBA.com.br

24 de November de 2014


PB realiza mais de 12 mil cirurgias eletivas pelo SUS; Governo quer esse tipo de serviço como política estadual

30/09/2011 | 15h02min

A Rede Hospitalar da Paraíba realizou, de janeiro a julho deste ano, 12.032 cirurgias eletivas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para aumentar ainda mais esses procedimentos e "zerar” a fila de espera, o Governo do Estado está implantando a Política Estadual para a Realização de Cirurgias Eletivas de Média e Alta Complexidade.

Os municípios estão sendo convidados a fazer a adesão a esse projeto, que vem sendo discutido com  todas as regionais de saúde do Estado. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) alerta os gestores interessados em participar do programa que eles têm até o dia 30 de outubro para assinar o termo de adesão, de acordo com a Portaria 001/11, de 12 de setembro de 2011, assinada pelo secretário da Saúde, Waldson Sousa. Logo em seguida, eles devem encaminhar a lista com as cirurgias.

A diretora geral do Hospital Santa Isabel, Bárbara Wanderley, explicou que as cirurgias eletivas acontecem aos sábados e domingos. Nos meses de julho e agosto, foram realizados cerca de duzentos procedimentos dentro do Programa Estadual. De acordo com ela, no Santa Isabel são realizadas cirurgias  geral, de hérnia, vesícula, ginecológica, vascular e urológica. No Hospital Arlinda Marques são realizadas as cirurgias pediátricas; já as clínicas oftalmológicas conveniadas com o SUS fazem as cirurgias de catarata (esse atendimento começou em março passado).

Para Bárbara, o Programa das cirurgias eletivas basicamente  amplia o acesso do usuário ao procedimento cirúrgico e, na medida em que a oferta é ampliada, automaticamente se reduz a fila e o tempo de espera. "É esse o nosso objetivo e é isso que vem acontecendo”, afirmou.

Adesão – Até o início desta semana, 127 municípios tinham aderido ao Programa Estadual – já está prevista a realização de 6.317 procedimentos na Paraíba. "Esta política acontecerá de forma sistemática e contínua, no intuito de beneficiar todos os usuários do SUS”, explicou Waldson Souza.

A técnica de Planejamento da SES,  Selda Gomes de S. Alves, disse que os municípios que aderirem a esta primeira etapa da Política estadual de Cirurgias eletivas deverão encaminhar, por meio eletrônico, os documentos necessários listados na Portaria 001/12 para o email celetivas@saude.pb.gov.br. Os municípios que fizerem adesão ao projeto firmarão um Termo de Adesão com a SES. Neste termo, será anexado documento constando os tipos de cirurgias, a quantidade, o cadastro dos usuários conforme a planilha de demanda reprimida apresentada, o cadastro das equipes e dos serviços.

O secretário disse ainda que, nesta primeira etapa, estão previstas cirurgias de média complexidade e cirurgias ambulatoriais que poderão ser flexibilizadas dentro da área e de acordo com a demanda. As cirurgias eletivas serão realizadas nos municípios que possuem em seu território hospitais de gestão estadual, municipal ou filantrópico com estrutura física, alvará sanitário atualizado, recursos humanos e equipamentos necessários para esse tipo de procedimento, conforme dita a portaria. Waldson Souza também definiu que, inicialmente, as cirurgias acontecerão nos doze hospitais regionais, ampliando-se de acordo com a necessidade.

Investimento – O Governo do Estado vai investir cerca de R$ 15 milhões nesta primeira etapa do programa. Desde o início da gestão, a SES realiza visitas técnicas em todas as Gerências Regionais de Saúde para apresentar aos municípios esta nova ação do Governo, que vai beneficiar milhares de paraibanos atualmente na fila de cirurgias.

O assessor de gabinete da SES, Murilo Wanzeler, explicou que o objetivo é zerar todas as cirurgias eletivas no Estado e acabar com a demanda reprimida, ou seja, as cirurgias que estão acumuladas. O médico Ernani Filho, que também é assessor de gabinete da SES, deixou claro que a realização dessas cirurgias independe de outros procedimentos. "Todos os hospitais hábeis para realizar esses procedimentos podem participar dessa política”, disse.

Ernani Filho explicou que a Política Estadual de Cirurgias Eletivas, é um trabalho interfederativo entre o Governo do Estado, as secretarias municipais de saúde e o Ministério da Saúde (MS). 


Beneficiadas – A agricultora Rosilene Alves de Andrade, 39 anos, residente no município de Alhandra, foi uma das pacientes beneficiadas com o Programa Estadual de cirurgias eletivas que o Hospital Santa Isabel realiza desde julho passado. A agricultora contou que tinha um mioma e tentava fazer a cirurgia há anos, mas só agora conseguiu. "Foi muito bom. Fiz a cirurgia e, graças a Deus, estou bem de saúde”, comemorou.

Quem também foi beneficiada com a cirurgia foi a aposentada Marta Maria Marques Tenório, 63 anos que mora no Bairro da Torre, em João Pessoa. Segundo contou, há 14 anos precisou retirar o útero depois da descoberta de um câncer. Com a idade avançada, teve que se submeter à outra cirurgia, desta vez para suspensão da bexiga. Mas o procedimento não deu certo. Agora, pelo Programa, ela fez uma cirurgia mais complexa e colocou uma tela que suspendeu a região pélvica. "Não houve burocracia para marcar o procedimento”, comentou.

Secom-PB