Logo PARAÍBA.com.br

21 de December de 2014


Máscara usada em manifestações pelo mundo vem do filme e da HQ 'V de vingança'

18/10/2011 | 15h36min

V está por toda parte. Você já deve ter visto seu "rosto" nas manifestações que se espalham pela Europa e pelos Estados Unidos, na marcha contra a corrupção aqui em Copacabana, dia 12 de outubro, ou até mesmo no Rock in Rio, bem em cima do palco. V, Guy Fawkes (o nome foi inspirado em um soldado inglês do século XVI, envolvido em uma conspiração para explodir o Parlamento) ou Anonymus são os nomes do protagonista do filme "V de Vingança", baseado na cultuada HQ roteirizada por Alan Moore, com arte de David Lloyd, publicada nos anos 1980. Veja fotos dos mascarados pelo mundo.

Tico Santa Cruz, dos Detonautas, usou a máscara em seu show no Rock In Rio para protestar contra a corrupçáo. Foi aclamado pelo público. O momento foi tão marcante que o músico já decidiu: vai fazer uma tatuagem com o desenho da máscara de Anonymus na perna:

- Eu tinha visto "V de Vingança" há muito tempo, é um personagem emblemático para todas as pessoas que se identificam com a justiça, que querem fazer alguma transformação, que lutam contra a impunidade. Eu gostei de usar para despertar isso nos jovens, que não conhecem a história do personagem nem pelo filme nem pelos quadrinhos - diz Tico, destacando sua admiração pela HQ. - O discurso do personagem criado por Alan Moore é muito atual, apesar de ter sido idealizado nos anos 80. Ele foi muito feliz nessa criação.

Tico Santa Cruz no Rock in Rio

O líder dos Detonautas conta que não esperava tamanha repercussão por ter usado a máscara. Recebeu mensagens do mundo todo e até de integrantes do movimento que seu autodenomia Anonymus, formado por hackers na Espanha e acusado de ter atacado bancos, órgãos do governo, entre outras instituições.

- A máscara começou a ganhar mais visibilidade com o grupo, que foi o primeiro a usar e faz denúncias através da internet. Como o Rock in Rio foi exibido em outros países, vários membros do Anonymus me mandaram mensagens. Eles até postaram um vídeo, que está no meu blog , usando a nossa música "Combate". Mas não quero banalizar a máscara, isso pode fazer ela perder a representatividade.

Em setembro, o jornal britânico "The Guardian" calculava que cerca de 100 mil máscaras de V eram vendidas por ano. E considerava um paradoxo a imagem ter se tornado um símbolo de ativistas anticapitalismo ter sido popularizada, justamente, por Hollywood. O jornal afirmou também que a máscara já disputa com a emblemática foto de Che Guevara o topo da iconografia revolucionária.

Cena do filme V de Vingança

Na época de seu lançamento, em 2006, o filme provocou muita polêmica, talvez por V (o pseudônimo de Guy) soltar frases como: "Explodir um edifício pode mudar o mundo". Em tempos pós-atentados de 11 de setembro, houve quem considerasse a obra uma apologia ao terrorismo. Outros, como a revista "Vanity Fair", elogiaram a adaptação, produzida pelos irmãos Wachowski, de "Matrix". Houve até rumores de que a estreia do filme teria sido adiada por causa dos atentados no metrô de Londres. Nas entrevistas de lançamento do filme, acompanhadas naquele ano pela Megazine, Joel Silver, negou:

- A base do filme é uma pergunta: qual é a diferença entre um terrorista e um guardião da liberdade? É uma história mítica, não é real. É uma história de super-heróis. Os atentados foram horríveis, mas não nos afetaram. Nós queríamos estrear em novembro por causa do Dia de Guy Fawkes (dia 5 de novembro), mas vimos depois que não valia a pena fazer tudo com pressa só por causa de um mercado, o inglê.

Capa de uma das revistas da série V de Vingança

Alan Moore, o pai de V, não gostou do filme, provavelmente por motivos diferentes dos apresentados pelo lado mais conservador da imprensa americana. Mas foi taxativo.

- Eu li o roteiro. É uma porcaria - disse na época.



O Globo