Logo PARAÍBA.com.br

30 de August de 2014


Nissan Sunny: Opção de sedã compacto, é feito sobre a espaçosa plataforma do March

21/10/2011 | 17h54min

Com 1,82 m de altura, meu passageiro de origem nórdica não é um senhor pequeno. E com 4,47 m de comprimento, 1,69 m de largura e 1,53 m de altura, o Nissan Sunny é um sedã compacto, quase médio. No entanto, os dois trabalham bem juntos. Ele se encaixa sem problemas dentro do carro, e nós dois estamos bastante confortáveis no novo Nissan.

Conforto foi uma das quatro principais áreas onde a Nissan trabalhou. Eficiência, estilo e valor foram as outras três. Com uma cabine espaçosa e rodagem suave, o Sunny usa a nova plataforma V da Renault-Nissan (“V” de versátil), a mesma do hatch March. O objetivo era usar 20% menos peças e pesar 70 kg a menos.

Nissan
Design ficou melhor que o do Tiida Sedan, mas o Sunny ainda parece longo demais em relação à sua largura

O retrabalhado motor 1.6 16V assume os deveres dos antigos 1.6 e 1.8 que ele substitui. Há duplo comando variável (CVTC), para melhorar a eficiência em toda a gama de rotações, e dois bicos injetores para cada cilindro. A potência subiu para 109 cv, mas houve perda de 0,5 kgfm para um total de 14,8 kgfm de torque.

Tudo é encaminhado para os pneus dianteiros por meio de uma transmissão manual de cinco marchas ou automática CVT de segunda geração. A relação dessa última foi ampliada para 7,3:1, e ela usa uma caixa com subplanetários auxiliares para aumentar a eficiência. O resultado final é uma unidade 13% mais leve e 10% menor, que corta o atrito em 30% em comparação com outros CVTs da Nissan. O CVT também contribui para o Sunny alcançar 13,0 km/l na cidade e 16,4 km/l na estrada, ou 11,7/15,5 km/l no modelo manual.

Nissan
Entre-eixos de 2,60 m garante espaço razoável para os ocupantes traseiros

Ao vivo, o Sunny é melhor do que o feioso Tiida Sedan que ele substitui, embora pareça muito alongado. Por dentro, ainda que o carro seja espaçoso, a maioria das dimensões encolheu. Na frente, o espaço para a cabeça e ombros foi reduzido. O mesmo vale para o espaço da cabeça e das pernas no banco traseiro. Ainda assim, a Nissan diz que o Sunny oferece mais espaço para as pernas no banco de trás do que o BMW Série 5 e o Mercedes-Benz Classe E.

Salte para o banco de trás (dividido 60/40) e mova os assentos dianteiros o mais para trás possível, e você ainda terá um generoso espaço à frente dos seus joelhos. O teto chanfrado permite mais alguns centímetros de altura livre, embora minha cabeça raspe ligeiramente no forro. Um traço redesenhado e o console central com formas arredondadas trazem nova vida a uma cabine que anteriormente era muito plana e revestida de plásticos duros. Eles ainda estão lá, mas não tão perceptíveis. A boa visibilidade permite fácil navegação em estradas movimentadas.

Nissan
Painel ganhou formas mais arredondadas que no Tiida

O Sunny é um pouco lento em linha reta. Perde-se algum tempo com o acelerador colado no chão – e o CVT aproveitando a linha de corte em 6.500 rpm – para levar o sedã até velocidade de estrada. Para melhores resultados, mantenha o carro num ambiente urbano, hábitat de baixa velocidade. Três incômodos se tornaram perceptíveis durante a nossa volta em Seattle: primeiro, há uma quantidade substancial de ruído interior. Em defesa da Nissan, os carros de teste eram de pré-produção. Em seguida, o freio traseiro a tambor “agarra” em demasia na frenagem inicial. E, por último, o carro parece solto na estrada. Uma direção mais comunicativa seria bem-vinda.

Economia de combustível, conforto e estilo (dependendo do seu ponto de vista) foram melhorados. Se tiver preço competitivo, estimado na faixa dos R$ 40 mil, pode ser uma opção a Siena e Voyage, com maior porte. E ele não vai sofrer nada com o aumento de IPI para os importados: a chegada ao Brasil está prevista para o primeiro semestre de 2012, via México, que está isento do imposto.

Nissan

Auto Esporte
Redação