Logo PARAÍBA.com.br

21 de December de 2014


Enem: tema da redação é 'Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado'

23/10/2011 | 16h01min

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio 2011, o Enem, é "Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado". Os textos de referência são os artigos "Liberdade sem fio", da revista "Galileu" e "A internet tem ouvidos e memória", do portal Terra. Há ainda uma tirinha do cartunista André Dahmer, da série "Quadrinhos dos anos 10".

A informação contraria o boato de que o tema da redação teria vazado neste sábado (22). Segundo estudantes de Petrolina, em Pernambuco, a proposta da banca relacionava "o povo indígena e a Justiça brasileira". O Ministério da Educação (MEC) já havia negado, ontem, o vazamento. O órgão assegurou que as provas estavam lacradas sob a proteção do Exército.

Veja abaixo os textos que figuram na prova de redação do Enem 2011:

'A internet tem ouvidos e memória'

"Redes sociais são ótimas para disseminar ideias, tornar alguém popular e também arruinar reputações. Um dos maiores desafios dos usuários de internet é saber ponderar o que se publica nela. Especialistas recomendam que não se deve publicar o que não se fala em público, pois a internet é um ambiente social e, ao contrário do que se pensa, a rede não acoberta anonimato, uma vez que mesmo quem se esconde atrás de um pseudônimo pode ser rastreado e identificado. Aqueles que, por impulso, se exaltam e cometem gafes podem pagar caro. Um exemplo escandaloso foi o da universitária paulista Mayara Petruso. Após o resultado das eleições brasileiras em 2010, ela publicou em seu Twitter mensagens extremamente ofensivas aos nordestinos de São Paulo. O resultado foi um processo na Justiça, perda de emprego e uma péssima reputação. Apagar as mensagens e os perfis na rede não basta para deletar um deslize na web. No caso de Mayara Petruso ainda havia um agravante: a jovem estudava direito".

Em 2010, duas pessoas foram indiciadas pela Polícia Federal em Juazeiro pelo vazamento de um dos temas motivadores da prova de redação do Enem. Os pais do estudante Eduardo Ferreira Afonso Júnior confessaram ter passado a informação. A mãe, Marenilde Afonso, era fiscal de prova em Remanso e conseguiu ver um dos temas durante a abertura da prova destinada a deficientes visuais, duas horas antes do início do exame. Ela repassou a informação ao marido, Eduardo Afonso, que avisou ao filho em Petrolina, sem contar a fonte da informação.

Redação exige cuidados extras

A prova de redação - a única do Enem onde é impossível chutar - merece atenção especial. Conforme o edital do exame deste ano, o candidato deve fazer um texto dissertativo-argumentativo de no máximo 30 linhas, desenvolvido a partir de uma situação-problema e de subsídios oferecidos para permitir o desenvolvimento de uma reflexão escrita. Para que o texto seja corrigido, deve ser transcrito na Folha de Redação.

Cada texto passará por dois corretores, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. A nota final - até mil pontos - corresponderá à média aritmética simples das notas dadas pelos dois corretores. Em caso de discrepância de 300 ou mais pontos na nota atribuída pelos corretores, a redação passará por uma terceira verificação, a cargo de um supervisor. A nota por ele atribuída substituirá a dos demais corretores.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem, lembra aos candidatos que o edital do exame define uma série de situações que podem resultar em nota zero na redação, tais como não atender à proposta solicitada no enunciado ou fazer o texto em uma estrutura que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo. Além disso, o candidato não pode escrever menos de sete linhas ou mais de 30. A apresentação de impropérios e desenhos provoca anulação.

O Globo