Logo PARAÍBA.com.br

22 de December de 2014


Vulcão das Ilhas Canárias volta a entrar em erupção, mas risco de tsunami é remoto

11/11/2011 | 16h48min

A população de La Restinga, ao sul da ilha de El Hierro, Canárias, já não sabe se pode voltar para casa em segurança nos próximos dias. O Vulcão El Hierro voltou a manifestar-se hoje no mar perto da costa, lançando para o ar uma enorme bolha que se rompeu deitando água e cinzas a uma altura estimada, por algumas testemunhas, em mais de 20 metros. Isso aconteceu duas vezes: às 17h (hora peninsular) e às 18h10, esta última com menos intensidade.

Depois da segunda bolha, um intenso cheiro a ovo podre - sinal de que havia enxofre no ar - foi sentido por curiosos que observavam o fenómeno a partir de um sítio elevado a dois quilómetros do local da atividade vulcânica.

Alguns jornais espanhóis locais já estão a chamar a boca do vulcão de "boca de San Borondón", em alusão à ilha mitológica canária que aparece e desaparece  para confundir os marinheiros.

Cientistas desconhecem significado do fenómeno


Depois de dois dias de acalmia na ilha mais meridional do arquipélago das Canárias, voltou a registar-se atividade sísmica submarina na costa de La Restinga. Um processo em quase tudo semelhante ao que obrigou a desalojar, no passado sábado, as 250 pessoas que ainda estavam em La Restinga.

O significado disso, do ponto de vista puramente científico, ainda não está claro, afirmou a diretora, nas Canárias, do Instituto Geográfico Nacional (IGN), María José Blanco.

Por enquanto, será melhor que os habitantes de La Restinga continuem longe de casa. Segundo os especialistas, não é que as concentrações de enxofre ou de outros gases (CO2) sejam perigosas para o homem. Mas se numa dessas explosões as bolhas levarem outros compostos químicos ou lançarem cinzas, aí sim haveria perigo para a população, assinala o jornal "El País".

Em outubro, a população de La Restinga já tinha sido obrigada a sair das suas casas, mas metade já  tinha voltado. Na passada sexta-feira, registou-se um forte abalo sísmico de 4,4 graus na escala de Richter na costa norte da ilha, o que obrigou a fechar de novo o tráfego de algumas vias da ilha e a desalojar 11 vivendas de um bairro de Las Puntas. Desde julho que já ocorreram mais de 11.000 sismos em redor da ilha.

Risco de tsunami


Se o vulcão ainda tiver erupção com grandes explosões, os especialistas temem que o fenómeno possa gerar um grande tsunami que, na pior das hipóteses, "engoliria" a ilha onde vivem cerca de 10 mil pessoas. 

Apesar disso, o nível de alerta amarelo, decretado a 23 de setembro, ainda não foi alterado.

A situação, semelhante à que se viveu no final do século XVIII quando também se temeu que o vulcão entrasse em erupção, obrigou em setembro à retirada de dezenas de pessoas das suas casas. O Governo canário assegura que a comunidade autónoma está "perfeitamente preparada" para evacuar a população da ilha e responder a uma situação de catástrofe. 

Piores cenários


Registraram-se em setembro mais de uma centena de sismos, de magnitude entre 2 e 3,8 graus na escala de Richter. Hoje, já foram contabilizados mais de 55, mas a maioria não foi sentida pela população, tendo sido retiradas das suas casas 300 pessoas na zona de Frontera por causa do risco de desprendimentos de terra.

O jornal "La Opinión de Tenerife" avança com os piores cenários. O primeiro seria a necessidade de evacuação da população da ilha em apenas cinco barcos e em menos de quatro horas.

Outro cenário, ainda mais dramático, seria a formação de um grande tsunami, hipótese que o Instituto Geográfico Nacional espanhol (lGN) considera muito remota, uma vez que os cientistas esperam uma erupção de fraca intensidade.

O Governo espanhol pôs à disposição das ilhas Canárias todos os meios de emergência.

Entretanto, cientistas do Instituto Geográfico Nacional estão a percorrer as povoações de El Hierro para explicar o que pode acontecer, acalmar a população e responder às suas dúvidas. A Proteção Civil das Canárias preparou um dispositivo para, no pior dos casos, evacuar 4000 pessoas em quatro horas, tendo já sido contactadas a Marinha e as linhas aéreas que operam nas Canárias para o caso de erupção.

Segundo o jornal "El Día", as mensagens de apoio à população de El Hierro é o segundo tema mais divulgado no Twitter em Espanha.

Os cientistas do IGN estão à espera de uma atividade vulcânica em El Hierro semelhante à que ocorreu em La Palma (vulcão  Teneguia), Canárias, em outubro de 1971, como se pode ver nos vídeos abaixo colocados no YouTube.




Expresso PT