Logo PARAÍBA.com.br

26 de November de 2014


Secretário prevê aumento de 7% para servidores do estado e projeta investimentos para o interior da PB

14/11/2011 | 15h46min

O secretário de planejamento da Paraíba, professor Gustavo Nogueira, foi o entrevistado desta segunda (14) do programa Rede Verdade da TV Arapuan. Ele afirmou que com base em uma simulação feita pela secretaria de finanças os servidores estaduais devem receber um reajuste de 7% e projeta investimentos para o interior do estado para descentralizar o PIB.

Nogueira explicou que antes de o governo tomar qualquer iniciativa na linha de pessoal, é necessário que o estado esteja abaixo do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal que é de 46%. “A expectativa do governo alcance já em dezembro o estado já se encontra dentro desse equilíbrio fiscal”, conta.

O secretário garantiu que assim que o estado estiver dentro desse limite ele poderá se sensibilizar “ao menos para servidores públicos”. Nogueira destacou que foi simulado pela secretaria de administração do Estado e que deve haver aproximadamente 7% de aumento para os servidores. “Isso não quer dizer pontualmente”, destaca, mas garantiu que existe uma previsão orçamentária de reajuste salarial.

Para Nogueira, se as condições macroeconômicas do Brasil e do Mundo Piorar pode haver uma mudança nessa previsão orçamentária. “Mas acredito que o Brasil esteja numa condição satisfatória para enfrentar essa crise mundial.

“Não foi Ricardo Coutinho quem deu causa a essa desorganização financeira. Ele encontrou o Estado com um comprometimento na casa dos 58% e ele está trazendo o estado para dentro da legalidade”, explica.

Nogueira afirmou que o foco da Peça Orçamentária é a saúde, segurança e estradas. Ele garantiu que o estado vai elevar a proposta do investimento em saúde exigida pelo governo federal para 13%. “Existe uma atenção específica para a saúde”, diz. Ele destacou que os problemas na saúde acontecem em todo o Brasil.

“É um problema de fundos de financiamento para a Saúde, não podemos colocar a saúde como um problema de gestão”, explica.

“Precisamos ativar o micro tecido econômico através do apoio aos investimentos nascentes, aos empreendedores do estado através do Empreender Paraíba”, comenta.

O secretário afirmou que o governo está tentando internalizar o desenvolvimento do estado e afirmou que aproximadamente 80% do PIB paraibano está concentrado da região de Campina Grande até João Pessoa e malha litorânea. “Temos que buscar ativar as cadeias produtivas das demais regiões e buscar empresas”, conta.

O professor destacou que a preocupação é a participação pública no PIB, a Paraíba tem 3,8% de participação com serviços de saúde, educação, segurança, limpeza, energia, gás e esgoto. “E um número elevado se comparado aos demais estados da federação. “A Paraíba ainda depende muito da atividade pública, a atividade econômica ainda não pulsa da forma que deveria pulsar para que essa dependência do poder publico venha a ser diminuída”, destaca.

Investimentos – o secretário garantiu que dentro dos 20 maiores programas que estão consignados na Lei Orçamentária o programa ‘Saúde Cidadã’ é o segundo com maior importância e só perde para a educação que participa com 25% do orçamento. Na área de segurança foram consignados 11% do orçamento. “O estado da Paraíba tem uma dependência muito grande do Fundo de Participação dos Estados e a poupança interna é muito pequena”, comenta para explicar que a capacidade de custeio da máquina do estado é diminuta os gastos.


Marília Domingues