Logo PARAÍBA.com.br


RC fala de re-socializar população carcerária e planos para 2012, ‘fechar o Roger é um sonho’

2011-12-22 12:45:00.0

O governador Ricardo Coutinho (PSB) falou durante a coletiva no Palácio da Redenção, nesta quinta-feira (22), sobre políticas de segurança em presídios.

O governador citou o trabalho de re-socialização da população carcerária como fundamental. “Nós estamos realizando um curso de capacitação profissional capaz de atender 10% da população carcerária da Paraíba. É um número muito grande, a população nos presídios da PB é muito grande”, disse.

“Existe também o sonho para o próximo ano, não é uma promessa, mas um sonho meu e do Secretário Harrison Targino, que é fechar o presídio do Roger”, colocou.

“Nós temos que re-socializar as pessoas, é fazer isso, ou então não vale de nada, porque o ódio que essas pessoas carregam vai continuar, a barbaridade, é preciso acabar com isso”, continua o governador. “Por isso 5% dos trabalhadores em obras públicas são apenados em regime aberto ou semi-aberto”, contou.

“Esse ano nós apreendemos muito mais drogas do que o ano passado. Aqui nos dados está dizendo 130% a mais, mas é mais do que isso, aqui não está atualizado. Só de crack, foram apreendidos oito vezes mais do que o ano passado”, disse.

“Foram realizadas também muitas prisões. Ninguém pode dizer que o policial paraibano não trabalhou esse ano, o policial trabalhou muito. Nos três primeiros meses 80 pessoas foram presas por conta das explosões em caixa eletrônico, desde julho não aconteceu mas nenhuma explosão”, calculou.

“As pessoas comentam que é violência demais, é tiro para todo lado. Mas o policial não pode estar presente sempre antes de acontecer o crime, mas o crime é desvendado. O número de crimes sem solução caiu muito em relação ao ano passado. O último caso, dos finlandeses, a policia foi bater em São Paulo para prender o criminoso”, ressaltou.

“O policial recebeu o maior reajuste salarial do ano, isso é importante para estimular o trabalho realizado pelo policial”, citou.


Pedro Callado