Logo PARAÍBA.com.br

20 de August de 2014


Criança nasce sem órgãos sexuais e somente exame de DNA definirá sexo; veja vídeo

25/01/2012 | 15h40min

Somente um exame de DNA vai definir o sexo de uma criança que nasceu no domingo passado (dia 22), na Maternidade Cândida Vargas, em João Pessoa. A criança é o quarto filho de um casal natural do Município Sousa, no Sertão Paraibano.

Em conversa com o repórter Richelle Bezerra, da TV Arapuan, o pai da criança, Helenildo dos Santos, contou que foi comunicado por um medico que já havia sido colhido material e encaminhado para uma instituição em São Paulo, cujo nome ele não revelou, onde vai ser feito o exame de DNA para definir o sexo da criança e o resultado será conhecido em 15 dias.

Helenildo contou que vive com a mãe, Luciana Oliveira, de 23 anos, há seis anos e neste período ela engravidou seis vezes, três crianças nasceram normal sem ter nenhum problema, duas gravidez foram interrompidas por um aborto natural e agora a criança nasceu com esse problema.

Ele também revelou que durante a gravidez, ainda na cidade de Sousa, um exame de ultra som mostrou que a criança tinha problemas, pois apresentava uma quantidade de liquido na cabeça acima do normal e eles foram encaminhados para a Maternidade Cândida Vargas para acompanhamento da gestação e no domingo passado a criança nasceu.

Como não tem uma formação física dos órgãos genitais e a região anal, a criança teve que ser submetida a uma cirurgia para poder evacuar. O pai disse que os médicos que fizeram a cirurgia acham que pode ser uma menina, mas somente o exame de DNA vai esclarecer em definitivo o sexo da criança.

Helenildo Santos e Luciana Oliveira são primos em segundo grau e a equipe médica desconfia que a compatibilidade sangüínea devido ao grau de parentesco pode ter contribuído para a deformidade congênita, mas essa é outra duvida que somente o DNA e outros exames mais aprofundados vão constatar ou não o fato.

A diretora geral da maternidade Cândida Vargas onde a criança nasceu, Ana de Lourdes Vieira Fernandes, que também é obstetra, disse que trata-se de um caso raro. Ela revelou que “Ao nascer, a criança apresentou múltiplos problemas na formação. Está sendo avaliado, estudado a que síndrome essa criança pode pertencer”, explicou.

Além da indefinição no sexo na região externa dos órgãos genitais, o bebê também tem problemas graves no coração. Ela também informou que médicos da cidade do Recife, em Pernambuco, vão ser chamados para avaliar o coração do paciente.

Veja reportagem exibida no Jornal da Arapuan desta quarta-feira, na TV Arapuan.


Jonas Batista/Richelle Bezerra