Logo PARAÍBA.com.br

21 de October de 2014


Secretário revela que bandidos planejaram execução de jornalista Anacleto Reinaldo

28/04/2012 | 17h42min

Os jornalistas da área policial da Paraíba têm mesmo com o que se preocupar. Hoje pela manhã, o secretário de Segurança do Estado, Claudio Lima, revelou, numa conversa informal, aos jornalistas Clilson Júnior e Vinícius Henriques, que o apresentador da TV Arapuan, Anacleto Reinaldo, estava na 'lista da morte' do traficante 'Fão'.

De acordo com o secretário, o serviço de inteligência da polícia chegou à informação a partir de escutas telefônicas onde o traficante determina a execução de Anacleto.

Claudio Lima revelou também que procurou o proprietário da TV Arapuan, João Gregório, para relatar o fato e disponibilizar proteção policial ao jornalista que durante duas semanas foi protegido por seguranças.

O jornalista Anacleto Reinalo teria entrado na 'lista negra' do traficante por revelar suas ações na televisão. 'Fão' era um dos responsáveis pelo comando do tráfico de drogas nos bairros São José, Alto do Mateus, Ilha do Bispo, Novais e Mandacaru e atualmente está preso no Presídio Federal de Rondônia.

As declarações de Claudio Lima aconteceram na residência do radialista Vinicius Henriques, que foi surpreendido com a ação de bandidos que alvejaram seu carro e sua casa a tiros.

O comunicador responsabilizou o crime organizado pelo atentado, pois comanda o programa Rota da Notícia, na Rádio Arapuan, que é primeiro lugar no IBOPE, e denuncia todas as ações dos bandidos na Paraíba.

Casos no Brasil

No último dia 23, o jornalista Décio Sá, foi executado com seis tiros em um restaurante, em São Luís (MA). O repórter publicava reportagens investigativas em seu blog, um dos mais acessados do Estado, e trabalhava na editoria de política do jornal O Estado do Maranhão, da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

O assassinato do jornalista da Rede Globo, Tim Lopes, em 2002, foi um dos casos que mais chocaram o Brasil. Ele desapareceu no dia 2 de junho do referido ano.

Depoimentos de narcotraficantes presos indicaram que ele teria sido sequestrado e morto entre as 22 e 24h daquele dia. Sua morte somente foi confirmada em 5 de julho, após exame de DNA dos fragmentos de ossos encontrados num cemitério clandestino.

A Campanha Emblema de Imprensa informou que o Brasil é o segundo país mais perigoso do mundo para jornalistas trabalharem. Somente no primeiro trimestre de 2012, cinco profissionais de imprensa morreram de forma violenta, sendo que, no mundo inteiro, 31 jornalistas foram mortos no mesmo período. Isso representa um aumento de 50% em relação ao mesmo período de 2011.

Também neste ano, o Brasil caiu 41 posições no Ranking de Liberdade de Imprensa, realizado anualmente pela organização Repórteres Sem Fronteiras. O país caiu do 58º lugar, que ocupava em 2010, para o 99º, no levantamento 2011-2012. Esta é a segunda queda mais acentuada entre os países da América Latina, destaca a entidade, que relaciona o péssimo desempenho brasileiro ao "alto índice de violência".


Clickpb