Logo PARAÍBA.com.br

21 de October de 2014


Ação do Centro de Zoonoses de João Pessoa consegue lar para 80 animais

20/05/2012 | 11h36min


Givaldo Oliveira com a gata Frajola na feira de adoção na capital (Foto: Inaê Teles/G1)

Pelo menos 80 cães e gatos que estavam desabrigados ou vivendo no Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses em João Pessoa conseguiram um lar após a feira de adoção promovida pelo órgão, na sexta-feira (18).

“Já estava querendo ter um animal. Passei por aqui e estava acontecendo a feira. Queria um cachorro, mas todos já haviam sido adotados”, disse Givaldo Oliveira que acabou adotando a gata Frajola. Givaldo que é deficiente visual disse que quem escolheu o animal foi a esposa. “Ela gostou da cor clarinha da gata”, disse.

Pelo cronograma do Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses estão programadas quatro feiras deste tipo para este ano, mas foi necessário realizar um evento extra. “Estávamos com muitos animais adultos e filhotes. Por isso resolvemos fazer uma feira extraordinária para dar sobrevivência para esse animais”, disse Nara Arruda, chefe da seção de controle de vetores.

Nara Arruda ficou feliz com o resultado da feira na capital (Foto: Inaê Teles/G1)

De acordo com Nara, vieram “pais” adotivos da capital e ainda de Bayeux, Santa Rita e Cabedelo, na região metropolitana de João Pessoa.

A feira começou às 8h30 e já tinha cerca de 60 animais, mas ao longo do dia apareceram pessoas para deixar mais bichos para adoção e esse número aumento. Foi o caso do funcionário público Anderson Soares que quando chegou em um sítio no Conde teve uma surpresa. O caseiro tinha se mudado e “esqueceu” de levar a cadela Catarina com seus quatro filhotes.

Sem saber o que fazer com os animais, Wedesn Silva que é amigo de Anderson se lembrou que viu na televisão uma matéria sobre a feira de adoção de animais.

Filhotes de Catarina foram adotados duranrte a feira (Foto: Inaê Teles/G1)

Já no final da feira, quando não tinha mais nenhum cão para adotar, a dupla chegou com os filhotes e a cadela. Em questão de segundos, apareceram pessoas interessadas em adotar os filhotes, mas não houve a mesma alegria para adotar Catarina, uma cadela adulta que está debilitada.

A veterinária Suelem Almeida explicou que a preferência dos “pais” adotivos é por cães. “Os gatos são mais discriminados. Caso cheguem 50 gatos, por exemplo, apenas cinco são adotados. Já com cães é diferente. Caso cheguem 50 cães, 40 são adotados”.

Mais para sorte dos bichanos existem pessoas como a estudante Amanda Wassermann que se diz uma apaixonada por gatos. Tanto é que ela adotou a Marie, uma gata de três meses, que vai fazer companhia para a gatinha Suzy. “Eu amo gatos desde pequena”, disse a estudante.

Amanda Wassermann com a gata Marie logo após a adoção (Foto: Inaê Teles/G1)

Ela mora com o pai em Recife e está passando o fim de semana na casa da mãe. No momento da adoção a estudante ligou para a mãe para informar sobre a mais nova integrante da família, mas o pai só vai saber da novidade quando Amanda e Marie chegarem em Recife. “Não vai ter problema não”, disse a estudante.

Ela disse ainda que essa já sua segunda adoção, a gatinha Suzy ela achou na rua e levou para casa. “Eu acho que não faz sentido comprar um animal com tantos por aí para serem adotados”, disse a jovem que tem como sonho “ganhar bastante dinheiro para poder adotar diversos animais e dar qualidade de vida para cada um deles”.

Cadela Catarina conseguiu ser adotada (Foto: Inaê Teles/G1)

A veterinária Suelem disse que às 18h30 todos os animais expostos tinham sido adotados. Até a Catarina conseguiu um lar. “Com certeza a feira foi um sucesso”, disse.

O Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses fica localizado na Avenida Walfredo Macedo Brandão, n°100, no bairro dos Bancários, próximo à Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (83) 3218- 9357.


G1