Logo PARAÍBA.com.br

27 de November de 2014


Fiocruz anuncia método de controle da dengue e mosquito deixará de transmitir vírus em 2014

24/09/2012 | 18h41min

A Fundação Oswaldo Cruz participa de uma pesquisa internacional com o objetivo de eliminar a dengue. O projeto, que já é realizado no Vietnã, na Indonésia e chega agora ao Brasil, utiliza a bactéria Wolbachia para bloquear a transmissão do vírus da dengue pelo mosquito Aedes aegypti.

O pesquisador Luciano Moreira, da Fiocruz, será o líder do projeto no Brasil. O método é baseado na soltura programada de mosquitos com a Wolbachia. Eles recebem a bactéria em laboratório, onde é cultivada uma colônia dos insetos. A Wolbachia é passada da fêmea para o ovo do mosquito naturalmente.

Com o tempo, a expectativa é de que a maior parte da população de mosquitos já tenha a bactéria e seja incapaz de transmitir a dengue.


Segundo o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, havendo a aprovação das autoridades regulatórias e com o consentimento dos moradores das localidades, as primeiras experiências de campo com a soltura de mosquitos com a bactéria podem ocorrer em maio de 2014.

As regiões serão monitoradas por meses e, em fases posteriores, o impacto sobre a incidência da dengue será avaliado.

Segundo os pesquisadores, a Wolbachia está presente naturalmente em cerca de 70% dos insetos no mundo e não há evidências de qualquer risco à saúde humana ou para o ambiente.

O programa de pesquisa é liderado pela Universidade de Monash, de Melbourne, na Austrália, com diversos colaboradores internacionais.

No Brasil, o projeto foi batizado de Eliminar a dengue: Desafio Brasil, com financiamento da Fiocruz, Ministério da Saúde, Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação e Foundation for the National Institutes of Health, dos Estados Unidos.

R7