Logo PARAÍBA.com.br

28 de July de 2014


EUA: até 7 mil pacientes de dentista podem ter sido infectados por HIV

30/03/2013 | 09h22min


Autoridades de saúde dos Estados Unidos alertaram cerca de 7 mil pessoas que poderiam ter sido expostas ao HIV e outras doenças infecciosas num consultório dentário de Oklahoma, onde foram descobertos procedimentos impróprios de esterilização e instrumentos enferrujados.

De acordo com a Reuters, a investigação teve início depois que um paciente do doutor Wayne Scott Harrington, de Tulsa, foi diagnosticado com hepatite C e HIV, o vírus causador da AIDS, segundo uma queixa registrada contra o cirurgião-dentista.

Quando foi determinado que o paciente não estava envolvido em comportamentos associados a doenças transmissíveis pelo sangue, investigadores foram ao consultório de Harrington e encontraram uma série de violações, segundo a queixa feita pelo Conselho de Odontologia de Oklahoma na terça-feira.

Segundo Susan Rogers, diretora-executiva do Conselho de Odontologia, a magnitude das supostas violações e o número de pacientes envolvidos são "sem precedentes".

De acordo com a queixa, ampolas e agulhas eram usados diversas vezes em pacientes diferentes, causando risco de contaminação. Um conjunto de instrumentos utilizado em portadores de doenças infecciosas parecia enferrujado.

O dentista, de 64 anos, entregou sua licença profissional e está cooperando com as investigações, segundo as autoridades. Ele tem trabalhado em Tulsa e mantém um consultório num subúrbio por cerca de 35 anos.

Pacientes devem pedir aos dentistas para ver esterilização

Embora as autoridades digam que tais situações envolvendo clínicas odontológicas são raras, os pacientes devem ficar atentos. Dr. Matt Messina, um dentista de Cleveland, nos EUA, e conselheiro do consumidor para a American Dental Association, diz à AP que os pacientes devem pedir informações ao dentista e cirurgiões sobre os passos que eles e suas equipes fazem para esterilizar os equipamentos



Extra Online