Logo PARAÍBA.com.br


Secretaria da Saúde emite nota e afirma que não interditou escola por causa de caso de meningite

2017-04-20 17:21:00.0

A Secretaria de Saúde de João Pessoa, por meio da  Gerência de Vigilância Epidemiológica (VIEP)  emitiu nota na tarde desta quinta-feira (20) que não interditou a escola Cidade Viva no Bessa pelo fato de uma aluna ter sido diagnosticada com meningite 

 Veja a nota na íntegra:  


A Gerência de Vigilância Epidemiológica (VIEP) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que a Meningite é uma doença causada por vários micróbios, a exemplo de bactérias, vírus, fungos entre outros, ou seja, existem vários tipos da doença. Por isso, é necessária uma investigação de caso a caso, além disso, nem toda Meningite é transmitida de uma pessoa para outra. 

Esses micróbios atacam uma membrana que recorre o cérebro e a medula espinhal, causando assim a doença. Entre as Meningites, a de maior importância em Saúde Pública é a Meningocócica, que é transmitida de pessoa para pessoa. Essa transmissão pode ser direta através de um contato íntimo como beijo, ou através de secreções (saliva) expelidas pela fala, tosse ou espirro. Nas épocas de frio e umidade, a Meningite Meningocócica acontece com mais frequência, pois as pessoas ficam mais juntas em lugares de pouca ventilação. 

Os outros tipos de Meningites não são contagiosas e tem origem principalmente nas infecções de ouvido, garganta, pulmão ou outros órgãos do nosso organismo, atingindo as Meninges e inflamando-as. Nesse período são os casos mais comuns. 

De toda forma, a equipe da Vigilância Epidemiológica está investigando e acompanhando os casos registrados da doença e em alerta para o surgimento de novos. Além disso, a equipe da VIEP está disponível para dúvidas da população durante a noite, fins de semana e feriados através do telefone: 98762-2553. 

Por fim, a SMS esclarece que o Colégio Cidade Viva, onde surgiram os casos suspeitos da doença, não foi interditado pela Secretaria de Saúde e a decisão de fechar a escola para limpeza foi dá diretoria da própria instituição para maior conforto dos alunos e suas famílias. 

Sinais e sintomas da doença – Rigidez na nuca, febre alta, forte dor de cabeça, vômitos, dificuldade em abaixar a cabeça e pequenas manchas arroxeadas na pele (nem sempre aparecem). Crianças menores de um ano podem ficar com choro irritado, sem querer se alimentar. É comum observar a moleira se esta alta. 

Medidas de controle – Diagnóstico precoce com internação para tratamento do doente; Se houver suspeita da Meningite Meningocócica iniciar imediatamente o tratamento dos ‘comunicantes’, que são as pessoas que estiveram em contato íntimo com o doente, principalmente no domicílio; manter o ambiente aberto, permitindo a entrada de sol e ar, não havendo necessidade de desinfecção. Aos primeiros sintomas, procurar imediatamente um serviço de saúde. 

Dados – Esse ano de 2017 foram 18 notificações suspeitas por meningite, nenhuma delas por meningococemia (a forma grave). Outros três casos foram encerrados positivos clinicamente e os demais descartados e/ou em investigação.

secom-JP