Logo PARAÍBA.com.br


Com arbitragem contestada, Palmeiras começa mal, mas reage com Dudu endiabrado e vence o Vitória

2017-07-16 15:27:00.0

Não foi um jogo vistoso, esteve longe de convencer o seu torcedor, mas acabou sendo suficiente para pôr fim à série de três derrotas consecutivas (duas pelo Brasileiro e uma pela Libertadores).

Com uma ajuda da arbitragem, inclusive.


O Palmeiras não atuou bem, mostrou estar sem ideias, deixou o seu torcedor impaciente, mas conseguiu reagir após sair atrás no placar e virou para vencer o Vitória por 4 a 2 na manhã deste domingo, no Allianz Parque. O resultado alivia um pouco a pressão sobre o técnico Cuca e, especialmente, sobre o diretor executivo Alexandre Mattos, contestado em protesto realizado pela principal facção organizada do clube com o fracasso dos reforços de peso trazidos até aqui.

Com uma proposta de aguardar pelos donos da casa e sair em contra-ataque, o rubro-negro baiano abriu o placar logo aos nove minutos do primeiro tempo.

Felipe Melo errou passe no meio-campo, Uillian Correia ficou com ela, tabelou com Neilton e recebeu na frente para soltar uma bomba e marcar um golaço em São Paulo. Sem chances para Fernando Prass.

Correia e Neilton vinham sendo curiosamente renegados pelo técnico Alexandre Gallo desde a sua chegada.

O Vitória cresceu em campo na sequência e chegou, inclusive, a aumentar com o lateral Patric em cabeceio dentro da área, aos 22. A arbitragem o flagrou em impedimento e anulou, no entanto.

Com uma falta de criatividade que assustava, o Palmeiras não conseguia ameaçar e teve de contar com uma bola cruzada na área por Dudu e dividida entre Mina e Wallace na área para chegar ao gol em pênalti duvidoso marcado pela arbitragem. Róger Guedes foi para a cobrança e deixou tudo igual ao bater longe do alcance de Fernando Miguel aos 36.

A marcação provocou diversos protestos dos baianos. A imagem mostrou o zagueiro colombiano se jogando dentro da área.

Antes da ida para o intervalo, aos 45 minutos, Dudu desceu pela direita, arriscou e a sobra do desvio em Patric ficou com Guerra. Ele rolou para o próprio Dudu entrar chutando e virar a partida. Esse foi o único cochilo da defesa do Vitória na etapa inicial.

Na saída para o vestiário, Uillian Correia desabafou contra a arbitragem: "Todo jogo tem agarrão dentro da área, e o árbitro não dá nada. Agora deu o pênalti para o Palmeiras", disse ao Premiere FC.

Os dois times voltaram mais abertos para o segundo tempo, as reclamações com a arbitragem persistiram e foi o Vitória que chegou com mais perigo, em falha de Mina, desarme de André Lima no lado direito e passe para Neilton, sozinho, ficar frente a frente com Prass. O atacante mandou para fora e perdeu chance incrível de empatar aos 15.

Pouco depois, aos 20, Wallace acertou o travessão alviverde.

O troco do Palmeiras foi fatal. Em arrancada de Dudu pela direita, ele conseguiu se desvincilhar de Geferson e Renê Santos e cruzar na área. Willian dominou e acertou a trave de Fernando Miguel. No rebote, Mayke encheu o pé para aumentar. O mesmo Dudu voltou a aparecer após arrancada de Mina e passe de Michel Bastos para ampliar aos 31. David ainda diminuiu em lindo lance aos 39.

Foram 36.263 mil pessoas para uma renda de R$ 2.712 milhões no Allianz Parque.

Com o resultado, o Palmeiras subiu para quinto lugar, com 22 pontos, e deixou o Vitória na 19ª colocação, com 12.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 X 2 VITÓRIA

Data: 16 de julho de 2017, domingo

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo-SP

Horário: 11 horas (de Brasília)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo

Assistente: Luiz Claudio Regazone e Eduardo de Souza Couto

Público: 36.263 torcedores

Renda: R$ 2.712.846,15

Cartões amarelos: Edu Dracena e Gabriel Furtado (PALMEIRAS); Cleiton Xavier e Wallace (VITÓRIA)

GOLS:

PALMEIRAS: Róger Guedes, aos 36, e Dudu, aos 45 minutos da etapa inicial; Mayke, aos 25, e Dudu aos 31 minutos do segundo tempo

VITÓRIA: Uilllian Correia, aos nove minutos do primeiro tempo; David, aos 39 minutos da etapa final

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Yerry Mina, Edu Dracena e Egídio; Felipe Melo (Zé Roberto) e Tchê Tchê; Guerra (Michel Bastos) e Dudu (Miguel Borja); Róger Guedes e Willian

Técnico: Cuca

VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric (Leandro Salino), Alan Costa, Wallace e Geferson; Renê Santos, Yago (David) e Uillian Correia; Cleiton Xavier; Neilton (Jhemerson) e André Lima

Técnico: Alexandre Gallo


ESPN