Logo PARAÍBA.com.br


Energisa orienta beneficiados em Santa Rita sobre Tarifa Social de Energia Elétrica

2017-08-12 11:25:00.0

Equipe da distribuidora esteve no bairro de Várzea Nova conversando com 352 famílias contempladas pelo projeto do 'Minha Casa, Minha Vida'
Na tarde desta quinta-feira (10), técnicos da Energisa Paraíba, junto com a Cagepa, participaram de um evento promovido pela Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap), no bairro Várzea Nova, em Santa Rita. O encontro foi para apresentar aos futuros moradores do Residencial Thomas More, do programa 'Minha Casa, Minha Vida', os benefícios de tarifas sociais que oferecem descontos nas contas de energia e água.

"Os apartamentos devem ficar prontos em três meses e vão abrigar 352 famílias. Muita gente desconhece os benefícios a que tem direito. Então, fazemos esse tipo de encontro para orientá-las a aproveitar as oportunidades", pontua a presidente da Cehap, Emília Correia Lima.

Filipe Vidal, supervisor comercial do departamento de Serviços Sociais da Energisa, explicou os critérios para ter acesso à Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE). "É fundamental que as famílias saibam que podem usufruir desse benefício do Governo Federal, que é destinado apenas a clientes residenciais e não existe um limite de inscritos para o programa. A regra é quanto menos se consome maior o desconto. O programa dá descontos de 10% a 65% em residências que consumam até 220 kWh", explica.

De acordo com Filipe, tem direito ao benefício as famílias com renda mensal per-capita de até meio salário mínimo e inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). "Muita gente acha que para ter direito a Tarifa Social de Energia Elétrica precisa estar inscrito no Bolsa Família e isso não é verdade", diz.

O programa também atende as famílias que tenham portador de doença ou deficiência em tratamento contínuo com utilização de aparelhos que consumam energia e renda de até três salários mínimos ou famílias que possuem um membro favorecido pelo Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social (BPC).

Segundo Felipe, esse encontro permitiu que os futuros moradores tivessem contato com a informação e soubessem que há programas sociais para atendê-los. "O pré-cadastro dos contemplados com o Thomas More já foi feito. Esse momento nos permite disseminar informação e aproveitar a oportunidade para dar dicas de economia no consumo de energia e de prevenção de acidentes elétricos", contou.

Para dona Mª de Fátima dos Santos, 62 anos, o momento é de realização de um sonho. Ela perdeu sua primeira casa própria em 2010 por causa de uma enchente do Rio Paraíba. Atualmente, mora de aluguel pago pela prefeitura de Santa Rita. "Estou muito feliz, mal estou comendo e dormindo de tanta ansiedade. Vai ser muito bom ter uma casa minha de novo".

Já Edmilson de Lima, 31 anos, há três morando de aluguel, conta que não acreditou quando foi contemplado. Ele, a esposa e os dois filhos moraram sete com os pais dele. Edmilson diz que tinha conhecimento da existência dos programas de tarifas sociais, mas, agora, ele vai se inscrever sabendo como funciona e ciente do seu direito.

Assessoria