Logo PARAÍBA.com.br


Garçom é suspeito de divulgar fotos íntimas de cabeleireira e caso vai parar na delegacia na PB

2017-09-13 10:25:00.0


Casos de divulgação de fotos íntimas na internet têm sido mais comuns com a expansão das redes sociais e aplicativos de celulares. Dessa vez a vítima foi uma cabeleireira da cidade de Pombal que teve várias imagens íntimas divulgadas no WhatsApp na terça-feira (12).

A cabeleireira afirmou ter acionado a Polícia Civil para investigar o caso, já que segundo ela, o suspeito de ter publicado as fotos é um garçom de um restaurante da cidade de Pombal.

A investigação
A reportagem conversou com o delegado da 19ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP), Sylvio Rabello, e ele revelou que o caso já está sendo investigado pela polícia civil e que o suspeito já foi identificado:

“Já ouvimos a vítima Fabiana e estamos ouvindo outras testemunhas e o inquérito policial irá tramitar até o depoimento do garçom que está sendo apontado como autor do compartilhamento das fotos de Fabiana e ele será responsabilizado criminalmente”, disse Sylvio Rabello.

Desabafo

Em sua página pessoal no Facebook, ela postou uma mensagem de desabafo, disse que está constrangida com tudo o que aconteceu. Ela declarou também que está confiante na Justiça, e quer que o culpado pague pelo que fez.

Quem divulgou as fotos?
O advogado, Romero Dos Santos Arruda, que faz a defesa de Fabiana, detalhou como tudo aconteceu, segundo ele, a jovem estava em um restaurante e teria pedido ao garçom para carregar seu aparelho celular, e o garçom teria levado o aparelho e copiado todas as imagens da vítima:

“Fabiana estava no restaurante juntamente com um colega e ela pediu para que o garçom colocasse o celular para carregar no estabelecimento. Quando a minha cliente foi para sua residência, depois de três dias ela ficou sabendo que suas fotos teriam vazado no WhatsApp e a única pessoa que pegou no celular de Fabiana foi o garçom ou pessoas que trabalham no estabelecimento. Isso expôs demais minha cliente e serão tomadas as providências cabíveis.

Ouça entrevista com o advogado:



Diário do Sertão