Logo PARAÍBA.com.br


Dia D contra a raiva animal é neste sábado, mas campanha acontece até 31 de outubro

2017-10-21 14:42:00.0

Foto: Ivomar Gomes - Secom JP
Ao longo deste sábado (21), a Secretaria Municipal de Saúde realiza o Dia D da Campanha de Vacinação Antirrábica, que tem como objetivo evitar casos de raiva animal e a transmissão da doença para humanos. A ação segue até as 17h de hoje, imunizando cães e gatos a partir dos três meses de vida.

Para imunizar o animal, basta o dono levá-lo a um dos 200 postos de vacinação distribuídos pelos bairros, inclusive no Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (CVAZ), no bairro dos Bancários. É necessário levar o cartão de imunização do animal, mas aqueles que não tiverem o cartão receberão o comprovante de vacinação.  A lista com locais de vacinação pode ser conferida no link: http://midi.as/Antirrabica.

"A campanha de vacinação antirrábica é um cuidado extremamente importante para a saúde do animal, mas para a saúde do ser humano também, uma vez que o cão ou gato infectado pode transmitir a doença as pessoas e causar graves consequências. A vacinação é mais uma forma de cuidado com a saúde do animal e de demonstrar o carinho e cuidado que o dono tem com seu bicho", explica o diretor de Vigilância em Saúde, Sílvio Ribeiro.

A campanha começou no último dia 11 com a vacinação em postos itinerantes espalhados pela cidade e segue até o dia 31 de outubro. "Pedimos que os donos levem seus animais a partir dos três meses de idade para serem vacinados até o final da tarde de hoje. Mas aqueles que não tiverem tempo hoje terão até o último dia do mês de outubro para levar o cão ou gato ao CVAZ", ressalta Nilton Guedes, Gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses.

Sheila Aparecida é dona do gato Clodoaldo e foi uma das pessoas que levou o bichinho de estimação para ser vacinado. "É preciso entender a importância da vacinação para o animal, que é um cuidado tão importante e necessário", comenta a secretária do lar.

Para este ano, a meta é imunizar 80% da população de cães da Capital, que atualmente é estimada em 80 mil animais. O Ministério da Saúde não estabelece uma meta para a imunização dos gatos.

Doença – A raiva é uma zoonose viral, que se caracteriza como uma encefalite progressiva aguda e letal. Todos os mamíferos são suscetíveis ao vírus da raiva e, portanto, podem transmiti-la. A doença apresenta dois principais ciclos de transmissão: urbano e silvestre, sendo o urbano passível de eliminação.

Causada por um vírus, a raiva ataca diversos animais, inclusive o homem. A taxa de óbito das pessoas que adquirem a doença é de quase 100%. O cão, o gato e o morcego são os principais transmissores da raiva em áreas urbanas.

Quando uma pessoa é agredida por um animal, a exemplo do cão, gato, morcego ou sagui, é importante lavar bem a ferida com bastante água e sabão amarelo e procurar imediatamente um posto de saúde.

Comportamento – O animal raivoso apresenta mudança de comportamento.  Para de comer, esconde-se em locais mais escuros, tenta beber água sem conseguir engolir, procura fugir de onde está preso e morde tudo o que vê pela frente (objetos, animais e pessoas). O animal também pode babar, ficar com o latido rouco e prolongado, parecendo um uivo, ficar sem andar e morrer. No entanto, não é obrigatório que o animal raivoso apresente todos esses sintomas simultaneamente.

Secom JP