Logo PARAÍBA.com.br


Após reunião com Temer, Aguinaldo diz que data para votação da Reforma da Previdência foi fixada

2017-12-10 15:33:00.0

O presidente Michel Temer fez, na noite deste sábado, uma reunião com aliados para decidir uma estratégia para a votação da reforma da previdência. Segundo fontes ouvidas pelo GLOBO, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), falou que colocará a matéria em discussão na quinta-feira da semana que vem, dia 14, para poder votar o texto na semana seguinte. Até lá, o governo tentará conseguir os votos que faltam para fazer a Emenda Constitucional passar pelo Parlamento.

Na última quinta-feira, o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que o governo fechou acordo com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), para começar a votar a proposta de reforma da Previdência no dia 18 de dezembro. Depois de reunião no Palácio do Planalto, Aguinaldo disse que a data foi fixada, mas defendeu que a votação só deve ocorrer se os votos necessários para a aprovação do texto, um mínimo de 308, estiverem garantidos.

De acordo o futuro ministro da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun, que também participou do encontro, o presidente comemorou o fato de o PPS ter fechado questão em relação à aprovação da reforma. Com isso, três legendas já declaram apoio ao texto do governo. Além do PPS, PMDB e PTB devem orientar os parlamentares a votarem favoravelmente à proposta.

Em seu primeiro pronunciamento após o convite oficial para assumir o cargo, Marun disse que o presidente Temer também comemorou o fato de o assunto ter sido debatido na convenção do PSDB.

— Entendemos que foi uma manifestação muito firme e a convenção quase se transformou num ato de apoio à reforma. E o presidente está muito contente com isso — afirmou Carlos Marun, que deve tomar posse na quinta-feira. — Todos nós estamos confiantes na possibilidade de votar vitoriosamente a reforma da previdência ainda neste ano.

Ele ainda disse que, agora, é a hora de o governo trabalhar a articulação. A estratégia é conversar com os deputados e esclarecer quaisquer dúvidas.

— A gente chegou à conclusão que muitos não têm conhecimento global sobre o que é essa nova proposta. Ela hoje vai no essencial: no estabelecimento de uma idade mínima e de uma igualdade com o fim de privilégios.

Segundo ele, o governo começou a notar uma pressão positiva de “setores lúcidos da sociedade” a favor da reforma da Previdência. No entanto, não quis comentar a contagem de votos favoráveis que o governo já teria conseguido. O governo precisa de 308 votos a favor da proposta, mas nos últimos dias, tinha a garantia apenas de 290.

— Eu já começo a ficar otimista neste sentido, mas temos de tocar esse assunto com responsabilidade.

Questionado se o presidente Temer partiria para o corpo a corpo com os parlamentares, ele foi direto:

— O presidente é um homem de diálogo. Ele continua pessoalmente engajado nesse processo das reformas.

O Globo