Esportes

Presidente do Atlético-MG sugere fair play financeiro para acabar com força do Palmeiras no mercado da bola

2018-12-06 11:41:00.0
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O Palmeiras se tornou nos últimos anos uma verdadeira “pedra no sapato” dos principais clubes e concorrentes brasileiros durante o período de janela de transferências. Isso porque o clube alviverde aproveita o bom momento financeiro, fruto da parceria com a Crefisa, da força da torcida e também das seguidas conquistas – foram três títulos nacionais em quatro anos – para contratar, praticamente, o jogador que quiser.

A força do Palmeiras no mercado da bola, no entanto, já começou a incomodar os dirigentes rivais. Em entrevista à Rádio Itatiaia, o presidente do Atlético-MG, Sette Câmara, sugeriu a implantação do fair play financeiro no Brasil.

Está faltando aqui no Brasil alguma regulamentação, como o fair play financeiro. Estamos num momento em que eu tenho procurado alguns reforços. Você bate na porta de algum jogador e quando você está, está lá o Palmeiras. Tentei contratar, mas ficou impossível”, disse o mandatário do Galo, que revelou ter tentando as contratações de Arthur e Zé Rafael, ambos anunciados pelo Verdão.

Atualmente, Palmeiras e Atlético-MG negociam o futuro do lateral-direito Marcos Rocha, que pertence ao Galo e disputou a última temporada pelo Verdão. O jogador já manifestou o desejo de seguir em São Paulo e o diretor de futebol palmeirense, Alexandre Mattos, já admitiu que a negociação existe, mas está mais complicada que o esperado.

O Atlético-MG já pediu Alejandro Guerra e Gustavo Scarpa na negociação por Marcos Rocha, mas o Palmeiras entende que o primeiro é um jogador caro, enquanto o segundo é um dos principais nomes do elenco para 2019.


Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Paraíba.com.br não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo após o encerramento das eleições de 2018.