X
Dólar
Euro
23 de April de 2019

TV e Celebridades

Game of Thrones: O que sabemos (até agora) sobre a última temporada

14/04/2019 | 09h31min

Goste-se ou não, Game of Thrones é uma série que vai entrar para a história da TV como um dos marcos que redefiniu o conceito de entretenimento seriado. Este é um dos motivos por que a oitava temporada é uma das atrações mais aguardadas de 2019 — e isso no mesmo ano de Vingadores: Ultimato e Star Wars: Episódio IX. E quanto mais próxima fica a estreia da temporada final, mais aumenta a ansiedade. Será que os últimos episódios farão jus a toda a expectativa?

Para ajudar no aquecimento antes da grande estreia neste domingo, 14 de abril, o AdoroCinema resolveu reunir todas as informações concretas (ou não tão concretas assim) que já foram divulgadas. Quem será que vai terminar no Trono de Ferro? Ou melhor, será que alguém vai, de fato, terminar no Trono de Ferro?

A oitava temporada de Game of Thrones será a menor de todas, com apenas seis episódios. Enquanto tradicionalmente as demais tiveram dez cada, a penúltima contou com sete, e a inédita terá um a menos. Inicialmente, a HBO queria finalizar a série com sete temporadas, mas dadas as impossibilidades técnicas de concluir a história tão rapidamente, os produtores decidiram estender até a oitava, sendo que as duas finais são ligeiramente reduzidas.

O time de roteiristas e diretores é formado por veteranos da série. A direção dos seis episódios será dividida entre quatro nomes: David Nutter (“The Rains of Castamere”, “The Dance of Dragons”, “Mother’s Mercy”) dirige os episódios 1, 2 e 4 — encerrando sua jornada na série tendo comandado 9 episódios entre a segunda temporada e a última; Miguel Sapochnik, um favorito dos fãs por ter comandado “The Battle of the Bastards” e “The Winds of Winter”, assume os episódios 3 e 5. Por fim, David Benioff e D.B. Weiss, os showrunners da atração, fecham com chave de ouro dirigindo o episódio final.

Já o texto é de Dave HillBryan Cogman e dos próprios Benioff & Weiss. Hill (que assinou “The Sons of the Harpy” e “Eastwatch”, dois episódios que não são exatamente bons) responde pelo primeiro; Bryan Cogman (veterano da primeira temporada) responde pelo segundo, enquanto a dupla de showrunners escreve os outros quatro.

Quanto ao dinheiro, nada de economia: cada episódio custou à HBO US$ 15 milhões, US$ 5 milhões a mais que o investimento feito por episódio nas temporadas seis e sete. Isso tem certa relação com o tempo de duração, com os quatro últimos episódios ultrapassando os 60 minutos. Oficialmente, temos:

Episódio 1: 54 minutos
Episódio 2: 58 minutos
Episódio 3: 1 hora e 22 minutos, o maior episódio da série
Episódio 4: 1 hora e 18 minutos
Episódio 5: 1 hora e 20 minutos
Episódio 6: 1 hora e 20 minutos

TÁ, MAS…?

Não é segredo para ninguém que, em anos anteriores, a HBO não conseguiu ser exatamente sigilosa com as temporadas de Game of Thrones. Roteiros inteiros foram disponibilizados no Reddit antes da estreia, paparazzi clicaram absolutamente tudo em filmagens na Espanha, e até mesmo episódios caíram na rede antes da hora — por culpa da própria HBO, diga-se de passagem.

Para a oitava temporada, houve mais cuidado. De “dispositivo assassino de drones” a dicas que vieram de Rian Johnson (Star Wars: Os Últimos Jedi) e Kathleen Kennedy, Benioff e Weiss conseguiram burlar grande parte daquela galera que fica de plantão querendo pescar qualquer pedacinho de informação privilegiada.

Ainda assim, é claro que uma coisa ou outra passou. Algumas fotos clicadas no início de 2018 mostram que (ATENÇÃO PARA O SPOILER!) spoiler:

Game of Thrones: Imagens do Set revelam grande spoiler

Cartazes da 8ª temporada de Game of Thrones

Mas provavelmente ainda há muito a acontecer antes disso. O primeiro episódio da temporada vai mostrar Daenerys (Emilia Clarke) chegando a Winterfell, em um paralelo à chegada de Robert Baratheon (Mark Addy) à região nortenha no piloto. Haverá algumas reuniões e primeiros encontros que prometem ser, no mínimo, interessantes. Uma das cenas divulgadas da última temporada mostra exatamente o encontro entre Dany e Sansa (Sophie Turner), que parece não gostar nem um pouco da sua nova… visitante.

“O que vai motivá-la?”, questionou Turner em entrevista a respeito de sua personagem. “A questão é apenas manter Winterfell neste lugar bom? É a ameaça dos não-mortos? É um lugar muito estranho para ela. Onde estão suas motivações? Agora ela não tem mais quem manipular, talvez ela esteja um pouco perdida.”

Tendo ou não motivações, a possibilidade de a Senhora de Winterfell não ter um bom primeiro encontro com a Mãe dos Dragões é mesmo gigante, mas a atriz também disse que os fãs podem se preparar para uma Sansa valente:

“Esta é a primeira vez que uso uma armadura”, contou à EW. “Tivemos a ideia no início das filmagens de [o traje] ser muito protetor e que ela vai se abotoando. Queria que ela tivesse algo do tipo e que fosse um pouco mais guerreira. É como se ela fosse a guerreira de Winterfell.”

Do outro lado do mapa, temos uma rainha não muito sã no Trono de Ferro. Embora alguns tenham especulado que a gravidez de Cersei (Lena Headey) era uma farsa, os produtores já confirmaram que a informação é verdadeira. E enquanto muitos acreditam que a Rainha Lannister esteja fadada a um trágico fim, pode ser que sejamos surpreendidos.

“Eu [presumi] que iria morrer”, disse Headey à Time, sobre quando leu o roteiro. “E então eu cheguei até o fim. Fiquei chocada. Obviamente eu acho agora que vai haver uma boa contagem de corpos até o fim da temporada.”

Game of Thrones: O que a gravidez de Cersei significa para o futuro da personagem

Apesar das poucas novidades, o trailer veio para iluminar alguns pontos, o mais interessante sendo, talvez, a apresentação formal de um novo personagem: à bordo da embarcação da Lula Gigante dos Greyjoy, aparece um homem de cabelos e armadura dourados. É Harry Strickland, vivido pelo ator alemão Marc Rissmann. Ele é o líder da Companhia Dourada, um grupo de mercenários fundado por um dos bastardos do rei Aegon IV. É a mais famosa e requisitada força mercenária das cidades livres, e aqui aparece após ter sido contratada por Euron Greyjoy (Pilou Asbaek), que tenta conquistar a confiança (e a mão) de Cersei Lannister.

Conforme já explicamos na nossa análise do trailer, há uma série de reviravoltas envolvendo a lealdade da Companhia Dourada nos livros de George R.R. Martin. A mais interessante (e que deve ser lembrada) é que o grupo quebra o acordo com uma das Cidades Livres, Myr, para jurar lealdade a Daenerys, ainda que a companhia seja historicamente contrária aos Targaryen. No fim, eles acabam chegando a Westeros dando apoio ao Jovem Griff, um personagem que não está na série, mas diz ser Aegon Targaryen, o filho vivo do príncipe Rhaegar — o pai de Jon Snow (Kit Harington).

Tudo isso dá base a uma teoria: e se a Companhia Dourada, após chegar a Westeros pela causa de Cersei, resolver traí-la e jurar lealdade à Mãe dos Dragões e ao Norte? A ideia é algo bastante especulado pelos fãs, e ganha mais força com toda a ideia de uma Cersei isolada que o trailer transmite.

Helen Sloan/HBO

Ao Norte, o espinhoso encontro entre Sansa e Dany não é a única novidade. As irmãs Stark vêem os dragões pela primeira vez, e o trailer também mostra Jon e Dany são vistos nas Criptas de Winterfell, onde ela parece chegar para consolar o rapaz — seria este o momento em que ele descobre sua verdadeira linhagem? — e posteriormente caminhando em direção a Drogon e Rhaegal. Tudo dá a entender que o bastardo-não-tão-bastardo-assim vai montar o outro dragão, um momento que, caso realmente aconteça, deve ser catártico para alguns fãs e extremamente ofensivo para outros.

A GRANDE BATALHA

As histórias que rondam os bastidores da filmagem da "maior batalha da história do audiovisual" não são bonitas. Foram 11 semanas de filmagens noturnas para um dos episódios dirigidos por Miguel Sapochnik. Trata-se do embate contra o exército do Rei da Noite, reunindo "mais de 750 pessoas no time de produção, enfiadas até a cabeça em áreas rurais com temperatura abaixo de zero, com lama, ventania e animais inquietos."

A sequência deve reunir uma improvável gama de heróis, e será a primeira vez que Arya (Maisie Williams) de fato participa de uma destas grandes lutas, apesar de estar se preparando basicamente desde a primeira temporada.

"Nós construímos essa parte nova e gigantesca de Winterfell e pensamos originalmente: ‘Vamos filmar isso aqui, e aquela outra parte ali’, e basicamente quebramos em tantas peças que iria parecer um filme da Marvel, sem nenhuma improvisação", explicou Sapochnik. “Mesmo em Star Wars, eles constroem certas partes do set e então adicionam grandes elementos em CGI. E faz sentido, é uma forma eficiente. Mas então eu virei para os produtores e disse: 'Eu não quero fazer 11 semanas de filmagens noturnas, e ninguém quer. Mas se não fizermos, vamos perder o que faz Game of Thrones ser legal, e é o que faz [a série] parecer real.”

E foi assim que uma equipe se revezou durante 55 noites para as filmagens do aguardado episódio. Teve até gente desmaiando no set e, internamente, as filmagens do fatídico episódio ficaram conhecidas como “The Long Night”, ou “A Longa Noite”, uma piada que serve de referência a um histórico período do surgimento dos Sete Reinos. Rolou até uma jaqueta com a frase "Eu Sobrevivi à Longa Noite" para os heróis desta história. 

DEVEMOS COMEÇAR?

Ainda sobre o primeiro episódio, uma descrição no site oficial da HBO encontrada por fãs revelou alguns retornos surpreendentes. Robin Arryn (Lino Facioli), Edmure Tully (Tobias Menzies), Bronn (Jerome Flynn), Tormund (Kristofer Hivju), Beric Dondarrion (Richard Dormer) e Melisandre (Carice van Houten) estão listados no elenco. Qual será a importância do pequeno Senhor do Ninho da Águia e de seu tio?

Além do trailer, a HBO divulgou vários cartazes individuais e algumas fotos da temporada. Confira abaixo. 

Adoro Cinema
Laysa Zanetti

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.